Skip to content

VW e Renault foram as marcas que mais ganharam mercado no país em 2018

Por GLAUCO LUCENA

Além dos tradicionais volumes de venda e margem de lucros, há uma outra forma de disputa entre as montadoras que é levada mais a sério do que se imagina. O chamado share de mercado, ou participação no bolo total de vendas. Isso é o que define realmente quem ganhou ou perdeu terreno de um ano para outro, já que se comparam fatias do bolo, sem importar se o bolo cresceu ou diminuiu. Se o bolo cresceu, como foi o caso de 2018 (13,74% para automóveis e comerciais leves), tanto melhor para quem abocanhou maiores fatias, como foi o caso no Brasil da Volkswagen e da Renault.

polos

O crescimento da VW de 2,37 pontos de participação é algo notável. A marca alemã em 2017 tinha 12,53% de participação, na terceira colocação do ranking de vendas, e saltou para 14,9% em 2018, assumindo a segunda posição. Certamente, a dupla Polo e Virtus impulsionou grande parte desse salto. Além deles, o Gol se manteve no Top 5, e toda a gama VW conseguiu resultados decentes, à exceção de Up e Golf. Com a chegada do SUV T-Cross, em abril, a marca espera encostar na líder Chevrolet.

Hyundai Creta confirma liderança entre os SUVs compactos

A Renault também colheu os frutos da boa recepção que o pequeno Kwid teve no mercado, tudo isso sem perder o embalo do Sandero. Ganhou um ponto de participação, que em 2018 representou mais de 24.700 carros (um centésimo do total de vendas do mercado interno, que foi de 2.470.653 unidades).

Renault Kwid. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

Além dessas duas, apenas mais cinco marcas ficaram com fatias maiores de mercado em 2018: Nissan, Jeep, Caoa-Chery, Volvo e Kia. As duas primeiras embaladas pelas boas vendas de Kicks e Compass. A chinesa Chery cresceu e apareceu após a compra de sua operação pelo Grupo Caoa, brasileiro. Volvo e Kia foram as marcas de importados que mais se beneficiaram do fim das cotas do Inovar-Auto.

VW Virtus é estreia mais bem-sucedida do ano e consolida sucesso do Polo

Numa divisão centesimal de um bolo, se alguns ganham, outros têm de perder. E foi o que ocorreu com as demais 13 marcas do Top 20 de vendas. Naturalmente, a VW tirou compradores majoritariamente da líder Chevrolet e da Fiat, as outras duas gigantes do mercado. A Renault cresceu sobre as marcas do bloco intermediário, como Toyota e Ford, enquanto a Chery roubou mercado das marcas de menor porte.

cherytiggo5

Chama a atenção a queda de quase um ponto da Hyundai, apesar de ela ter liderado o segmento de SUVs compactos com o Creta. Num ano de crescimento do mercado, as marcas que mais sofreram foram as que estão perto do limite da capacidade produtiva, como a marca coreana e também a Honda. Há ainda casos de marcas que caem há vários anos por problemas estruturais, como a dupla Peugeot e Citroën, além da Mitsubishi.

Marcas chinesas projetam um 2019 de grande crescimento no Brasil

A líder Chevrolet perdeu um pouco de espaço, mas pode comemorar o fato de ter, pela primeira vez, vendido mais que a soma das marcas do Grupo FCA (Fiat, Jeep, Dodge e Ram). A vantagem foi inferior a 300 unidades. Assim, a GM liderou também como grupo em 2018. Veja abaixo o crescimento (em azul) ou retração (vermelho) de share de cada marca na comparação entre os dois últimos anos.

QUEM GANHOU E QUEM PERDEU PARTICIPAÇÃO DE MERCADO        (2018 x 2017)

1) VOLKSWAGEN: +2,37 pontos (14,9% do bolo)

2) RENAULT: +1.01 (8,7%)

3) NISSAN : +0,32 (3,95%)

4) JEEP: + 0,27 (4,33%)

5) CAOA-CHERY: +0.18 (0,35%)

6) VOLVO: +0,12 (0,28%)

7) KIA: +0,08 (0,47%)

8) BMW: -0,01 (0,46%)

9) LAND ROVER: -0,03 (0,27%)

10) MERCEDES: -0.08 (0,58%)

11) AUDI: -0,11 (0,35%)

11) MITSUBISHI: -0,11 (0,9%)

13) CITROËN: -0,22 (0,82%)

14) FIAT: -0,23 (13,18%)

15) PEUGEOT: -0,28 (0,96%)

16) FORD: -0,35 (9,17%)

17) CHEVROLET: -0,56 (17,58%)

18) TOYOTA: -0,65 (8,1%)

19) HONDA: -0,70 (5,33%)

20) HYUNDAI: -0,94 (8,3%)

FONTE: AutoBuzz, com números da Fenabrave

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: