Skip to content

Produção de abril foi a pior da história do setor automotivo, iniciada em 1957

Ford, GM, Volkswagen, Mercedes-Benz, Scania, DKW-Vemag, FNM e Willys. Esse era o elenco de fabricantes em 1957, primeiro ano cheio de produção de veículos no Brasil. Naquele ano, em todos os meses, a produção girou entre 2 mil e 3 mil unidades. Sessenta e três anos depois, a indústria viveu seu pior ano da história, com apenas 1.847 unidades produzidas, num mês em que quase todas as fábricas pararam de forma espontânea, para proteger seus funcionários em meio à pandemia da Covid-19.

Fabrica-DKW-Vemag
Fábrica brasileira da DKW-Vemag, uma das pioneiras do Brasil no final dos anos 1950

De acordo com os números divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o tombo foi de 99% sobre o mês anterior e de 99,4% sobre abril do ano passado. A queda abrupta da produção foi acompanhada de recuos igualmente dramáticos nas vendas ao mercado interno e nas exportações. Os licenciamentos de autoveículos, de 55,7 mil unidades, foram 76% menores que em abril de 2019, pior resultado em 20 anos. O segmento de caminhões recuou 53,5% no mesmo período. Já as exportações despencaram 79,3% (pior volume desde janeiro de 1997).

Os estoques na virada do mês estavam em 237 mil unidades entre fábricas e concessionárias, suficientes para quatro meses de vendas no ritmo lento atual, o que explica a dificuldade em retomar a produção em todas as fábricas. O único indicador positivo é o nível de empregos diretos na indústria, que se mantem num patamar acima dos 125 mil na soma das 26 associadas da Anfavea.

Luiz_Carlos_Moraes_Anfavea
Presidente da Anfavea cobra união e coordenação política para evitar uma recessão ainda maior

Para Luiz Carlos Moraes, presidente da associação das montadoras, é preciso em primeiro lugar proteger a saúde dos funcionários, e ao mesmo tempo encontrar meios para que o Brasil não entre numa recessão tão grave que possa levar o país a um colapso. “Isso exige um engajamento coordenado de toda a sociedade e também do Estado brasileiro, com foco absoluto na saúde e na economia. Não é hora de ruídos políticos que só desviam as atenções do que realmente interessa à população brasileira no momento de uma crise sem precedentes”.

 

One thought on “Produção de abril foi a pior da história do setor automotivo, iniciada em 1957 Leave a comment

  1. Infelizmente o Brasil carece de homens patriotas e com vergonha na cara.

Deixe uma resposta para Amarilio Alencar Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: